terça-feira, 4 de maio de 2010

Trabalhar com o "coração" ...

Ontem tive a sorte de ir visitar mais uma amiga minha. Quando nos juntamos fico sempre surpreendida com ela.

Ela ouviu falar da minha intenção de projecto, em situação académica, quando fiz a apresentação pública do meu projecto e o defendi perante o júri de professores universitários. Perante dúvidas sobre a sua implementação e sobre a indefinição de estratégias que então tinha sobre o seu desenvolvimento ela, mesmo naquele contexto, manifestou logo o seu interesse em colaborar e em associar-se.

Para essa fase do meu trabalho, a minha maior preocupação tinha mesmo sido a sua fundamentação teórica, uma vez que a questão da implementação, não se me apresentava como uma dificuldade, mas como um conjunto de processos a serem reflectidos e levados à prática. Para mim é também importante perceber a ressonância que este tipo de trabalho tem junto dos professores.

Uma das coisas que queria acertar com ela eram os relatos que ela me tem enviado e, como são da sua autoria, eu não queria publicar sem estar segura do que estava a fazer. A sua forma de escrita distingue-se completamente da forma de escrita dos restantes participantes neste projecto o que para mim tem sido um desafio [uma fonte de questionamento] e por isso merece todo o meu cuidado - http://pazvalorescidadania.webnode.com/news/relato%202%20%C2%ABas%20ideias%20s%C3%A3o%20como%20as%20cerejas%20%E2%80%A6%C2%BB/
Ela está sempre a lembrar-me: «Neste projecto não consigo estar de outra forma, escrevo com o coração. Foi com o coração que aderi desde a primeira hora que te ouvi falar nele.»

Ao conversar ontem com ela, voltou a recordar-me: «O meu entusiasmo com o teu projecto foi muito grande desde o início, porque a questão dos valores foi sempre muito importante para mim. A primeira vez que ouvi falar nela foi ao Dr. Manuel Patrício, da Escola Cultural. Mas este tipo de projectos não se pode impor: as pessoas ou aderem livremente, ou não. Foi por isso que fui conversado com as colegas e parece que tudo foi acontecendo de uma forma tão natural. Parece até que elas já estavam a fazer muitas coisas que têm a ver com este projecto.»

Parece que apenas vamos tecendo esta rede de contactos ... houve mesmo quem descobrisse uma história de uma teia de aranha e de várias teias que se vão ligando entre si.

Aqui podem encontrar todo este trabalho de que vos falo ... «Paz, valores e cidadania»: http://pazvalorescidadania.webnode.com/

Este tem sido um entusiasmo contagiante e muito estimulante para o desenvolvimento do meu trabalho. Um agradecimento muito especial, para ti, minha Amiga!